Como ajudar no alívio da dor em pacientes com fibromialgia?

A fibromialgia é um síndrome de dor crónica generalizada associada a múltiplos sintomas, que variam desde a fadiga crónica e perturbações do sono, até hipersensibilidade generalizada, envolvendo fatores psicológicos e cognitivos que resultam numa qualidade de vida baixa ou nula.

Aceita-se a existência de quatro tipos de dor, de acordo com o mecanismo que a gera:

  1. Dor fisiológica ou nociceptiva defensiva.
  2. Dor neuropática, causada pela geração anormal de impulsos nervosos como resultado de uma lesão ou doença do sistema nervoso.
  3. Dor centralizada, espontânea e provocada, sem lesão ou doença documentada na via nociceptiva e sem territorialidade (não segue a distribuição de um nervo ou raiz).
  4. Dor somatomorfa, na qual um mecanismo psicológico faz com que seja projetada nalguma parte da representação da dor no córtex cerebral, resultando numa sensação de dor sem estímulo nociceptivo, lesão ou doença da via nociceptiva.

A fibromialgia parece pertencer ao terceiro grupo de tipos de dor, uma vez que a hipótese de Sensibilização Central é aceite como responsável pela dor difusa na FM.

Este aumento da sensibilidade do sistema nervoso central e a diminuição dos limiares percetivos da dor são consequências de mudanças plásticas mal adaptativas na rede neural da dor. Neste caso, a rede de dor fica tão sensibilizada que estímulos leves a desencadeiam e o “alarme de dor”; nunca é totalmente desativado.

Por isso, tem sido recomendado que reverter a plasticidade mal adaptativa e restaurar o funcionamento normal da rede de dor através da modulação por treino (terapia de reprocessamento da dor; atenção plena “mindfulness”), autorregulação (Neurofeedback; Interface cérebro-computador) ou estimulação cerebral não invasiva (estimulação magnética transcraniana ou estimulação elétrica) pode ser uma terapia eficaz.

Todos esses métodos, sejam psicológicos ou físicos, estão sujeitos a avaliação através de ensaios clínicos terapêuticos, e existem já algumas evidências que merecem destaque.

Comentaremos em artigos subsequentes o estado do conhecimento sobre essas terapias alternativas na fibromialgia.

Sobre o Autor

A NeuroVida é uma instituição médica de neurologia e neurociências, pioneira em Portugal, que presta atenção integrada e interdisciplinar de cuidados a doentes do foro neurológico e neuropsiquiátrico. 

A clínica conta com uma equipa de especialistas em diversas áreas interdisciplinares liderada pelo Dr. Lázaro Álvarez, neurologista e neurocientista com mais de 30 anos de experiência.

Se quiser saber mais sobre a clínica ou a sua equipa médica, recomendamos-lhe que visite o nosso site oficial.

Ver mais: dor, dor cronica, fibromialgia