fbpx

Dia Mundial da Luta Contra a Depressão

Hoje, dia 13 de janeiro, Dia Mundial da Luta Contra a Depressão, destacamos esta doença neuropsiquiátrica é uma condição clínica caracterizada por um sentimento de tristeza acompanhado pela perda de interesse por atividades significativas.

A Organização Mundial de Saúde estima que mais de 264 milhões de pessoas no mundo sofre de depressão, sendo que uma em cada quatro pessoas tem, já teve ou virá a ter esta doença. Em Portugal, segundo a Sociedade Portuguesa de Psiquiatria e Saúde Mental, a depressão está presente ou já esteve presente na vida de cerca de 20% da população.

As causas da depressão são complexas. Pode ser desencadeada por diversos motivos que incluem a interação de fatores ambientais, genéticos, psicológicos e alterações nos neurotransmissores. Estes fatores podem determinar o risco, assim como também a capacidade de recuperação.

Os episódios de depressão podem ter uma longa duração ou uma duração mais curta, mas com maior frequência. A pessoa experiência sintomas como tristeza persistente, ansiedade, falta de energia, fadiga, distúrbio do sono, perda de interesse, entre outros (se tiver estes sintomas e perdurarem por mais de duas semanas deverá consultar um médico psiquiatra). A depressão afeta a capacidade funcional das pessoas, a satisfação com o seu desempenho e a motivação para a realização de atividades que anteriormente eram consideradas prazerosas.

Mesmo nos casos mais graves, a depressão pode e deve ser tratada. Quanto mais cedo iniciar o tratamento, maior será a sua eficácia. O tratamento, prescrito por um médico psiquiatra, poderá incluir intervenção farmacológica, psicoterapia ou a combinação destes. Se os sintomas persistirem, a estimulação cerebral não invasiva poderá ser considerada.

A equipa NeuroVida prima por uma prática baseada na evidência, deste modo, hoje, destacamos uma revisão sistemática e meta-análise (Chu, Cheng, Liang, Chang, Juan, Huang, Jeng, Bai, Tsai, Chen e Cheng-Ta Li, 2021) que concluiu que a Theta Burst Stimulation (TBS) com incidência no córtex pré-frontal dorsolateral está associada a efeitos antidepressivos significativos, sendo um tratamento extremamente tolerável por doentes com depressão major. Comparativamente à Estimulação Magnética Transcraniana Repetitiva (rTMS), este artigo revela que a TBS demonstra uma maior eficácia em termos de tempo e energia.

Sugerimos também a leitura no nosso blog do Artigo de opinião: Novos avanços no tratamento da Depressão por Estimulação Magnética Transcraniana.

Na clínica NeuroVida, iniciámos em 2017 o programa NEUROTHER, uma resposta de tratamento da depressão que tem como objetivo obter uma maior taxa de remissão da Depressão nos doentes resistentes à terapia farmacológica.

Sobre o Autor

A NeuroVida é uma instituição médica de neurologia e neurociências, pioneira em Portugal, que presta atenção integrada e interdisciplinar de cuidados a doentes do foro neurológico e neuropsiquiátrico. 

A clínica conta com uma equipa de especialistas em diversas áreas interdisciplinares liderada pelo Dr. Lázaro Álvarez, neurologista e neurocientista com mais de 30 anos de experiência.

Se quiser saber mais sobre a clínica ou a sua equipa médica, recomendamos-lhe que visite o nosso site oficial.

Ver mais: Depressão