fbpx

A importância da Reabilitação Cognitiva em doentes com AVC

Uma das sequelas mais comuns em doentes que sofrem um Acidente Vascular Cerebral (AVC) é um défice cognitivo que depende em grande parte da extensão da lesão. Esta deterioração é muito comum, entre 40 e 70% dos pacientes em fases subagudas, e anos mais tarde cerca de um terço.

As sequelas cognitivas condicionam a qualidade de vida da pessoa, sendo irreversíveis e afectando de tal forma as funções cognitivas que, em alguns casos, tornam impossível a autonomia e a funcionalidade no dia-a-dia, criando alterações emocionais e comportamentais.

No entanto, graças a estudos recentes, foi demonstrado que tanto durante as fases agudas como crónicas, podem ser obtidos grandes benefícios e melhorias com uma reabilitação neuropsicológica adequada.

Hoje vamos abordar um dos tratamentos mais eficazes para a reabilitação cognitiva de um paciente com AVC, o treino cognitivo computorizado. A fim de facilitar a leitura deste artigo, deixamos alguns links para os temas a ser discutidos:

1.- O impacto das dificuldades cognitivas nos doentes com AVC

2.- REHACOM: porquê utilizar o treino cognitivo computorizado?

3.- Requisitos para iniciar o tratamento com REHACOM


O impacto das dificuldades cognitivas nos doentes com AVC

As sequelas cognitivas relacionadas com AVCs dependem da localização da lesão, da sua extensão e do estado prévio do doente (idade, nível de instrução, comorbilidade, etc), sendo mais significativa durante o primeiro mês.

Não obstante, é frequente a decorrência de várias alterações, como por exemplo:

  • Dificuldades de atenção e concentração;
  • Perda da memória;
  • Compromisso da orientação viso-espacial;
  • Afetação do raciocínio lógico e do cálculo;
  • Défices perceptuais,
  • Perturbação da fala e/ou linguagem.
  • Dificuldades de planeamento e flexibilidade;
  • Alterações comportamentais e emocionais, tais como irritabilidade, agressividade, desinibição, apatia, impulsividade, labilidade emocional, depressão, intolerância, entre outros.

Quando estas alterações são de magnitude suficiente, perturbam as atividades instrumentais da vida diária e as relações familiares e sociais. Este estado é nomeado défice cognitivo vascular, e constitui a principal causa de incapacidade e dependência.

Estas alterações têm um grande impacto no dia-a-dia dos pacientes, tornando assim a nova realidade um processo difícil pela perda de autonomia, o que promover vários comportamentos negativos, nomeadamente oposição e depressão.

É por isso, crucial intervir atempadamente, de modo a reduzir as limitações cognitivas impostas pelo AVC e proporcionar ao paciente uma melhor qualidade de vida.

REHACOM: porquê utilizar o treino cognitivo computorizado?

O RehaCom é um software abrangente e sofisticado de treino cognitivo computorizado que tem como objetivo a recuperação das capacidades cognitivas deterioradas. O treino consiste na repetição de exercícios cognitivos específicos com vários graus de complexidade para fortalecer determinadas funções cognitivas, como a atenção, a concentração, a perceção, a memória, as funções executivas e muito mais.

Ao resolver tarefas, os processos cerebrais são ativados e as funções cognitivas são melhoradas ou restauradas. O sucesso do treino cognitivo traduz-se numa melhoria na capacidade para lidar com os desafios do dia-a-dia. O RehaCom pode ser usado em todas as fases após a lesão, sendo particularmente relevante nas fases crónicas do AVC.

De destacar que os módulos do treino cognitivo a utilizar são selecionados com base nos resultados da avaliação neuropsicológica.

Vantagens da utilização do RehaCom no treino cognitivo

  • Melhora as funções cognitivas: através da realização dos exercícios de forma consistente, é possível verificar uma melhoria clara nas funções comprometidas. As tarefas reforçam as estratégias fornecidas pelo terapeuta, maximizando assim a recuperação das funções deterioradas.
  • Permite individualizar: o software adapta-se a cada paciente.
  • Permite treinar à distância: pode ser usado remotamente através da internet e com a supervisão do terapeuta. O treino à distância também permite que o paciente possa continuar a treinar determinados módulos e reforçar as estratégias da terapia fora das sessões presenciais, facilitando assim a recuperação.
  • É adaptável, amigável e motivador: os módulos de treino adaptam-se automaticamente ao desempenho do paciente. Se a tarefa for difícil de resolver, o sistema diminui o grau de dificuldade até que seja possível aumentar a complexidade. Se a tarefa for relativamente fácil, o software apresenta mais desafios evitando assim o tédio e falta de motivação.

De acordo com os resultados das diversas investigações que tem vindo a ser realizadas sobre o benefício do uso do RehaCom na recuperação das funções cognitivas e da nossa própria experiência, consideramos que esta é uma ferramenta que auxilia a reabilitação de diversas funções cognitivas com resultados bastante positivos e relevantes na funcionalidade dos nossos pacientes.

Requisitos para iniciar o tratamento com REHACOM

O primeiro passo para uma reabilitação bem-sucedida é a realização de uma avaliação neuropsicológica que inclui: avaliação das funções cognitivas, do comportamento e das emoções, bem como avaliação funcional. Através da aplicação das baterias de avaliação é possível delimitar quais as funções cerebrais que estão comprometidas e quais estão preservadas. A partir dos resultados é possível caracterizar o perfil neuropsicológico do paciente e assim elaborar programas de reabilitação neuropsicológica individualizados e personalizados.

Durante o processo de reabilitação, para que o paciente possa contribuir de forma ativa no seu tratamento devem ser considerados três requisitos fundamentais: nível de insigth (consciencialização dos défices), tomada de decisão para a mudança (decisão de participar ou não num programa de reabilitação que depende do equilíbrio entre a potencialidade de melhoria e os esforços necessários para alcançar essa melhoria) e a motivação para a terapia. Por último, não podemos esquecer a importância da participação da família em todo o processo de reabilitação e da gestão de expectativas de todos os intervenientes.

Se tiver alguma dúvida sobre o treino cognitivo computadorizado e como pode ajudar os pacientes com AVC agudos ou crónicos, pode contactar-nos utilizando o formulário abaixo: