Dia Mundial da Doença de Parkinson: Conheça diferentes estratégias de intervenção no declínio cognitivo

Hoje é comemorado o Dia Mundial da Doença de Parkinson e, como tal, gostaríamos de partilhar as estratégias terapêuticas que têm contribuído para o tratamento do défice cognitivo associado à Doença de Parkinson (DP).

O declínio cognitivo ligeiro que pode ser observado em pacientes com DP, e confirmado por testes neuropsicológicos, apesar de não interferir na autonomia funcional, representa um factor de risco para o desenvolvimento de demência.

Não existe neste momento uma estratégia farmacológica aprovada para prevenir ou tratar o declínio cognitivo em pacientes com DP. No entanto, investigações recentes sugerem que a função cognitiva pode ser melhorada ou estabilizada através de:

  1. Treino Cognitivo

Vários estudos clínicos e meta-análises indicam que o treino cognitivo melhora as funções executivas e de memória em pacientes com DP.

  1. Treino Cognitivo + Treino Físico

Discute-se também que um tratamento combinado de treino cognitivo e físico pode ser uma boa opção, dado o efeito de transferência entra as capacidades cognitivas e motoras, reflectindo-se em efeitos positivos em sintomas físicos, como por exemplo o congelamento da marcha.

  1. Videojogos e Realidade Virtual

Inúmeras publicações nos últimos anos têm confirmado o benefício do feedback sensorial de plataformas como o Wii Balance Board ou o Microsoft Kinect, uma vez que estas exigem que o usuário realize movimentos físicos durante a condução cognitiva.

  1. Estimulação Cerebral Não-Invasiva

As alterações cognitivas e a depressão na DP surgem através da disfunção da mesma rede frontostriatal, abrindo a oportunidade para o tratamento concomitante, com técnicas de estimulação cerebral não invasiva:

Conheça também o nosso programa de intervenção multidisciplinar na Doença de Parkinson, clicando aqui.