NeuroJunior: A importância da reorganização do córtex na reabilitação da hemiplegia congénita

Compreender a reorganização do córtex motor primário, após uma lesão que ocorreu durante a gravidez, é um dos principais elementos para estabelecer os métodos mais eficazes de reabilitação do braço em hemiplegia congénita.

Durante o desenvolvimento neurológico típico, a informação sensorial e o controlo do movimento de uma extremidade é garantida pelo hemisfério cerebral contralateral. Por exemplo, a sensibilidade e movimento da mão direita são responsabilidade do hemisfério esquerdo.

No caso da hemiplegia congénita, os processos de reorganização das conexões cerebrais são interrompidos ou modificados, gerando novos padrões de organização, que se traduzem em:

  1. A mão mantém controlo bilateral com bom feedback sensorial
  2. A mão tem controlo ipsilateral (o hemisfério cerebral controla o lado do corpo correspondente) mas com sensibilidade incongruente, causando mau feedback sensorial.
  3. A mão tem controlo ipsilateral e não tem feedback sensitivo (como um AVC em adultos)

Assim sendo, consoante cada caso, diferentes terapias podem ser aplicadas, tais como as terapias de restrição, treino motor bilateral intensivo (que activa áreas cerebrais adicionais, facilitando a recuperação funcional), ou terapia de espelho.

Um correcto diagnóstico que determine o padrão de reorganização de córtex é fundamental para a selecção das terapias mais convenientes. O programa NeuroJunior da clínica NeuroVida baseia-se nestes e noutros princípios neurofisiológicos para personalizar os tratamentos e maximizar os resultados.