Como combater eficazmente as dificuldades de aprendizagem em crianças com Epilepsia

O que é a Epilepsia de Ausência na Infância?

A epilepsia de ausência na infância (EIA) é uma epilepsia generalizada idiopática, na qual as crises se caracterizam por uma breve perda de consciência. Geralmente tem início entre os 4 e os 7 anos, sendo a forma de epilepsia mais comum na infância, pelo que muitas investigações têm-se vindo a debruçar sobre a influência das crises no processo de aprendizagem.

As dificuldades mais comummente associadas à EIA são:

  • O atraso no desenvolvimento
  • As dificuldades de aprendizagem
  • As perturbações do espectro autista
  • A perturbação de hiperactividade com défice de atenção (PHDA)
  • As perturbações comportamentais

Como minimizar as consequências da Epilepsia de Ausência?

Na literatura científica, existem várias evidências de uma maior prevalência de PHDA e dificuldades de atenção em crianças com epilepsia. Sendo que as dificuldades de atenção têm-se revelado o primeiro sinal de que as convulsões estão a afectar os processos de aprendizagem. Um estudo publicado por D’ Agati e seus colegas da Universidade de Roma demonstrou ainda que as crianças com EAI apresentavam dificuldades no planeamento de tarefas, na fluência verbal, e na atenção sustentada e dividida.

Avaliação e diagnóstico precoce

Considerando que a infância é um período especialmente importante na aquisição de novas aprendizagens, é essencial que as dificuldades de aprendizagem sejam diagnosticadas o mais cedo possível, para que se possa intervir de forma precoce, minimizando as suas consequências negativas.

Plano de tratamento personalizado

Como referimos acima, a identificação precoce das dificuldades de aprendizagem é essencial para definir as estratégias mais eficientes na minimização das consequências. Após o diagnóstico e análise minuciosa de cada caso, é importante definir um plano de acção contemplando os tratamentos mais adequados.

O treino cognitivo é uma ferramenta de tratamento utilizada na Clínica NeuroVida e que envolve a realização de diversos exercícios especialmente concebidos para promover várias capacidades cognitivas (tais  como a atenção, memória de trabalho, raciocínio lógico, entre outras) necessárias para a aprendizagem de cada criança.

Em particular, o treino cognitivo computorizado tem-se mostrado uma óptima ferramenta enquanto estratégia de intervenção para combater as dificuldades de aprendizagem, aumentando a motivação e a adesão das crianças.

Dispomos de uma equipa de especialistas nesta área. Contacte-nos para conhecer melhor a nossa abordagem.