Estimulação cerebral não-invasiva e o Défice Cognitivo Ligeiro

O Défice Cognitivo Ligeiro (DCL) é considerado um estado transitório entre o envelhecimento normal e o aparecimento de uma Demência, e caracteriza-se por uma perda de capacidades cognitivas superior ao que é esperado para a idade da pessoa, mas sem que esta interfira significativamente nas actividades de vida diária.

Por outro lado, a Demência caracteriza-se por um declínio cognitivo mais grave, na qual não se preserva a independência nas capacidades funcionais e nas actividades de vida diária.

A Doença de Parkinson é uma das doenças neurodegenerativas mais comuns, e embora inicialmente os sinais motores sejam os mais evidentes, os sintomas não-motores, tais como o declínio cognitivo, podem ter um impacto significativo na qualidade de vida e no prognóstico.

Actualmente, existem estratégias de tratamento alternativas à medicação para o declínio cognitivo, nomeadamente, a estimulação cerebral não-invasiva, em particular, a Estimulação Eléctrica Transcraniana por Corrente Contínua (ETCC), utiliza correntes fracas que modificam a actividade neuronal e que, posteriormente, se traduzem em melhorias ao nível comportamental.

Uma investigação realizada em indivíduos com DCL mostrou evidências de que a ETCC melhora a disfunção cognitiva e reverte temporariamente as alterações na actividade cerebral relevante.

Um outro estudo mais recente, em pacientes com Doença de Parkinson e DCL, também mostrou uma melhoria significativa na disfunção cognitiva após a realização de ETCC, sendo que o efeito permaneceu estável até 3 meses após a intervenção.

Aliado à ETCC, o treino cognitivo(TC) tem-se mostrado uma excelente ferramenta no combate ao declínio cognitivo, uma vez que permite estimular as reservas neuronais pré-existentes ou utilizar circuitos neuronais alternativos, como estrutura compensatória, com o objectivo de promover a neuroplasticidade, para responder da melhor forma possível às exigências das tarefas.

Um outro estudo realizado em pacientes com Doença de Parkinson e DCL, que combinou TC com ETCC, demonstrou melhorias na capacidade de memória. Estes resultados são suportados por uma outra investigação recente, publicada este ano, que revelou também uma melhoria significativa em termos cognitivos e funcionais, e um maior efeito terapêutico em Pacientes com Doença de Parkinson e DCL, após a realização da intervenção combinada de TC e ETCC.

Estas evidências têm demonstrado de forma sistemática os benefícios significativos da estimulação cerebral não-invasiva, e particularmente da ETCC combinada com TC, afirmando-a como uma opção terapêutica com bastante potencial.