fbpx

Estimulação transcraniana na gaguez: uma porta para a recuperação da fluência verbal?

O declínio na fluência verbal ou ritmo, conhecido como gaguez, é uma perturbação da comunicação e expressão manifestada por:

  • interrupção da fluência da fala com frequência incomum
  • repetição e prolongamento frequente de sons, palavras ou frases
  • bloqueios ou fala inadequada

Em muitos casos de perturbações da linguagem e fala é possível estabelecer uma ligação com o funcionamento cerebral, mas no caso da gaguez esta ligação não está totalmente esclarecida. Recentemente, a descoberta de uma nova via cerebral – o chamado “tracto oblíquo” – poderá ajudar a esclarecer e completar o conhecimento acerca do circuito cerebral envolvido na gaguez.

Em 2012, indivíduos saudáveis foram estudados com tractografia, e foi descoberto um novo feixe de fibras que conecta a região superior e medial do córtex frontal (conhecida como a área motora suplementar) a uma área chave para a linguagem, localizada na porção inferior do córtex frontal lateral (conhecida como circunvolução frontal inferior, ou pars opercularis da área de Broca).

continue a ler este artigo a seguir à imagem

Depois da descoberta desta nova estrutura anatómica (o trato frontal oblíquo) começou a ser estudada a sua influência em vários problemas clínicos, como a afasia progressiva primária e a gaguez persistente, tendo sido verificado que o tracto oblíquo e as áreas do córtex cerebral acima referidas estão relacionadas com a intensidade da gaguez.

Em 2018, três estudos, publicados na prestigiada revista Brain, apontam mais informação.

Num estudo com estimulação eléctrica transcraniana (tDCS) anódica do córtex frontal inferior foram reportadas melhorias na gaguez após a utilização de tDCS na circunvolução frontal inferior.

Noutro estudo, foi descrito que a hiperactividade da área homóloga (circunvolução frontal inferior direita), em pessoas gagas, piora a fluência do discurso.

O estudo mais recente reporta diferenças ao nível da espessura cortical entre pessoas que recuperam a fluência e aqueles que persistem com gaguez. Estes resultados apontam para a evidência anatómica de uma alteração primária na rede cerebral da fala em pessoas com gaguez, e apontam ainda para um possível mecanismo compensatório da área motora suplementar esquerda em pessoas que recuperam da gaguez na infância.

Estes estudos permitem considerar que a modulação destas regiões por técnicas de estimulação focal transcraniana podem facilitar a recuperação da fluência verbal em pessoas com gaguez.

Sobre o Autor

A NeuroVida é uma instituição médica de neurologia e neurociências, pioneira em Portugal, que presta atenção integrada e interdisciplinar de cuidados a doentes do foro neurológico e neuropsiquiátrico. 

A clínica conta com uma equipa de especialistas em diversas áreas interdisciplinares liderada pelo Dr. Lázaro Álvarez, neurologista e neurocientista com mais de 30 anos de experiência.

Se quiser saber mais sobre a clínica ou a sua equipa médica, recomendamos-lhe que visite o nosso site oficial.

Ver mais: Estimulação cerebral não-invasiva