Estimulação Magnética Transcraniana no tratamento da Depressão

Sabia que Portugal é o segundo país do mundo com a taxa de depressão mais elevada, apenas ultrapassado pelos Estados Unidos da América? Por ano, estima-se que 400 mil portugueses entre os 18 e os 65 anos sofram de depressão, sendo que um terço dos doentes não está a receber o tratamento de que precisa. (Dados retirados da Aliança Europeia Contra a Depressão em Portugal.)

A abordagem terapêutica mais comum na depressão é o uso de fármacos. Na realidade, o Relatório do Programa Na­cional para a Saúde Mental, referente a 2016,  concluiu que os portu­gueses usam cada vez mais an­tidepressivos – situação que preocupa a comunidade científica. Desta forma, é necessário encontrar soluções terapêuticas alternativas à medicação, ou que possibilitem a redução da medicação.

Uma das mais recentes alternativas terapêuticas é a estimulação magnética transcraniana (EMT). A EMT é um procedimento simples, seguro, não-invasivo e indolor, que utiliza campos magnéticos para estimular áreas específicas do seu cérebro. Esta técnica foi aprovada em 2008 e, desde então, tem sido utilizada para tratar a depressão em pacientes que não respondem à medicação antidepressiva, que não conseguem tolerar os efeitos secundários da medicação, ou que preferem tentar uma alternativa à medicação.

A base deste tratamento é o conhecimento de que o distúrbio bioquímico e molecular, que acompanha a depressão, causa uma perturbação no padrão de actividade do córtex pré-frontal e límbico, pelo que “normalizar” este padrão reduz os sintomas depressivos. Ao fim de 10 sessões já é possível sentir os efeitos positivos da EMT.

Relativamente aos efeitos colaterais, o mais comum é uma leve dor de cabeça que desaparece sozinha após o término da sessão, ou com a ajuda de uma aspirina ou paracetamol.

Um grande número de estudos realizados em todo o mundo indica que a EMT tem efeitos antidepressivos clinicamente significativos. Recentemente, a Rede Nacional de Centros de Depressão dos EUA analisou 118 investigações, sendo que os resultados confirmam a segurança e eficácia da EMT no tratamento da depressão.

Se sofre de depressão resistente ao tratamento farmacológico, ou se não tolera os efeitos secundários da medicação, fale com o seu Psiquiatra sobre a possibilidade de se tratar através da estimulação magnética transcraniana.

Contacte-nos para mais informações. Queremos ajudá-lo(a).