A dependência de substâncias químicas e a estimulação cerebral não-invasiva

O panorama anual de consumo de droga na Europa é preocupante, sendo que, em 2017, cerca de 25 milhões de jovens-adultos admitiram consumir algum tipo de substância.

Os distúrbios por uso de substâncias químicas (cannabis, cocaína, anfetaminas, opióides, etc.) representam um grande problema de saúde mental e, actualmente, sabemos que a dependência de substâncias é uma disfunção cerebral complexa (caracterizada por uma redução na capacidade de controlar o comportamento compulsivo de consumos, independentemente das consequências negativas) a qual envolve diversas áreas do cérebro e circuitos neuronais, nomeadamente os relacionados com a dopamina – uma substância que media o circuito de recompensa/prazer do cérebro.

Segundo os últimos dados científicos, a Estimulação Magnética Transcraniana (EMT) pode ajudar a modular a actividade de determinadas estruturas cerebrais que não se encontram a funcionar correctamente, como consequência dos consumos.

Estas estruturas são responsáveis pela ânsia de consumir (craving) e pela impulsividade que facilita o processo de dependência, e pertencem a circuitos conhecidos como Cold e Hot (frio e quente), responsáveis pelos mecanismos de funções executivas e sistema de recompensa, respectivamente.

O “circuito frio” inclui uma área no lado esquerdo do cérebro que é a sua componente chave: o córtex pré-frontal dorsolateral, conhecido como a principal estrutura da rede de controlo executivo. A EMT a altas frequências excita esta região, propagando-se zonas no interior do cérebro, como o núcleo caudado, tornando-as mais activas e aumentando o controlo dos impulsos.

Por sua vez, o “circuito quente” engloba a área ventromedial pré-frontal, estendendo-se ao núcleo accumbens e à área tegmental ventral, estruturas responsáveis pela transmissão do desejo de consumo (craving). A EMT intermitente de baixa frequência inibe este circuito que se encontra patologicamente hiperactivo, resultando na supressão da ânsia de consumo.

Durante esta semana iremos publicar dois artigos sobre a eficácia da estimulação cerebral não-invasiva em casos de consumo de cocaína e nicotina. Convidamos a que siga esta série de artigos.

Se sofre de uma dependência ou conhece alguém com este problema, conheça o nosso programa NeuroSwitch.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.