O que é a Estimulação Eléctrica Transcraniana?

Os tratamentos não-invasivos e não-farmacológicos com o maior potencial terapêutico no contexto clínico das neurociências são a estimulação magnética transcraniana e a estimulação eléctrica transcraniana.

A estimulação magnética transcraniana, como já explicámos (ver artigo), envolve a estimulação cerebral através de um campo magnético. Por outro lado, a estimulação eléctrica transcraniana diz respeito a uma forma de estimulação do córtex com correntes fracas. Ambas as técnicas são focais e permitem tratar áreas ou circuitos do cérebro específicos.

Existem diferentes tipos de estimulação eléctrica, porém o mais antigo e mais difundido é a Estimulação Transcraniana por Corrente Contínua (ETCC).

A ETCC é capaz de modificar a excitabilidade cerebral, de forma segura e completamente indolor, através de uma corrente eléctrica fraca que se desloca por dois eléctrodos (positivo e negativo) colocados na superfície da cabeça. Desta forma, é possível aumentar ou reduzir a actividade cerebral de determinadas áreas, dependendo do posicionamento dos eléctrodos.

Esta técnica apresenta efeitos secundários?
De todos os estudos realizados até ao momento, nenhum evento adverso grave foi relatado em mais de 20.000 sessões administradas. Os eventos adversos ligeiros são raros e incluem vermelhidão da pele, devido ao contacto com o eléctrodo, dor de cabeça e fadiga após a estimulação, bem como sensação de picada ou formigueiro que ocorre durante a estimulação. Estes efeitos são transitórios e acontecem apenas em um terço dos pacientes.

Há risco de danificar o tecido cerebral ou prejudicar as funções cognitivas?
Até ao momento não existem evidências de dano ou prejuízo. Além de que só podem ocorrer lesões neurológicas em densidades de corrente superiores a 6 A/m2, sendo que a magnitude de corrente produzida pela ETCC convencional é de apenas 0,007 A/m2.

Que condições/patologias podem ser tratadas com esta técnica?
A ETCC é muito usada em países da UE, Ásia, e América do Norte, no tratamentos de  pacientes com doenças ou condições neurológicas e psiquiátricas como:

  • Depressão
  • Perda de memória
  • Hiperactividade e défice de atenção
  • AVC
  • Dependência de substâncias químicas
  • Dor neuropática crónica
  • Fibromialgia
  • Enxaqueca
  • Zumbido

Quais são as vantagens da ETCC?

  • Técnica não-invasiva e indolor
  • Poucos e raros efeitos colaterais
  • Potencia o efeito dos fármacos e das técnicas de reabilitação
  • Facilita o controlo dos sintomas

A ETCC é, portanto, uma nova alternativa para o tratamento de doenças neuropsiquiátricas, cada vez mais estudada e aplicada na prática clínica. Por exemplo, a revista científica The Journal of ECT dedicou um número especial da sua edição deste mês (Agosto de 2018) à Estimulação Transcraniana por Corrente Contínua.

Na Clínica NeuroVida dispomos desta tecnologia para potenciar os nossos programas de reabilitação. Para mais informações sobre esta alternativa simples, segura e eficaz, contacte-nos.

17 pensamentos

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.