Vídeo: Parkinson e o Treino de marcha

O Parkinson é uma doença neurodegenerativa crónica progressiva, cujas manifestações clínicas são variadas, predominando as motoras – ritmo, coordenação e movimentos corporais, além de tremor, rigidez, instabilidade postural, lentificação e alterações no padrão de marcha.

O nosso programa de reabilitação motora visa diminuir as limitações funcionais, bem como promover a actividade física, a participação social e a independência do paciente, levando a uma melhor qualidade de vida. A par disso, pretende, igualmente, diminuir os riscos de complicações associadas, tais como quedas e bloqueios durante a marcha.

Desde os primeiros estádios, deve-se incentivar o treino de actividade física aeróbica e o treino de força com o objectivo de melhorar a mobilidade, a postura, o equilíbrio, a força muscular e a amplitude de movimentos. Mas sobretudo nos estádios mais avançados e complicados da doença, a fisioterapia é o principal recurso terapêutico aliado aos fármacos, juntamente com a cirurgia.

Um programa de fisioterapia intensiva em doentes com complicações motoras – 4 a 8 semanas – está associado a um melhor desempenho motor e cognitivo, sendo que o paciente mantém os ganhos entre 3 a 6 meses após o fim do programa.

Veja, na nossa página do Facebook, o vídeo onde se pode ver um treino de marcha com recurso a pistas visuais, e tendo por base o princípio da estimulação do córtex através de sinais externos, a fim de ultrapassar a disfunção dos gânglios basais e a sua interferência na iniciação e adequada gradação dos movimentos (hipocinesia), para melhorar a performance do paciente.