Estimulação Magnética Transcraniana: uma poderosa aliada na reabilitação neurológica

Sabia que o nosso cérebro tem a capacidade de se reorganizar? Trata-se de uma característica própria denominada de neuroplasticidade, a qual tem a função de assegurar a adaptação e remodelação dos mapas neuronais, possibilitando, por exemplo, a recuperação funcional do cérebro após uma lesão por AVC (acidente vascular cerebral).

Da mesma forma, muitos sintomas de outras patologias como a dor crónica, o abuso de substâncias e situações traumáticas podem ser consequência de anomalias nas redes neuronais do cérebro pelo que também nestes quadros clínicos haverá possibilidade de reorganização e regeneração graças à neuroplasticidade.

 

Benefícios da Estimulação cerebral não-invasiva

As descobertas científicas das últimas décadas permitiram criar métodos terapêuticos que incentivam os mecanismos neuroplásticos do cérebro através de técnicas de estimulação cerebral não-invasiva.

Estas técnicas facilitam a reorganização do córtex e a recuperação dos “padrões normais” de atividade e conectividade do cérebro e oferecem os seguintes benefícios:

  • Segurança
  • Indolor
  • Sem cirurgia
  • Sem anestesia ou sedação
  • Sem internamento
  • Dispensa o uso de medicamentos
  • Não causa dependência
  • Bem tolerada, com efeitos secundários mínimos e passageiros

A Estimulação Magnética Transcraniana (EMT) é uma destas técnicas não-invasivas, realizada com recurso a um dispositivo colocado sobre a cabeça, o qual emite impulsos electromagnéticos (semelhantes aos utilizados pela Ressonância Magnética) para estimular ou inibir células nervosas de áreas específicas do cérebro relacionadas com o que se pretende tratar.

Este método terapêutico é seguro, bem tolerado, e a sua eficácia tem vindo a ser comprovada através de diversos estudos publicados em revistas científicas de referência, durante as últimas duas décadas.

Indicações Terapêuticas da Estimulação Magnética Transcraniana

São várias as indicações terapêuticas da EMT. Países como os EUA, Canadá, Brasil, Austrália e Israel, têm utilizado esta técnica desde 2013 para diferentes condições psiquiátricas, principalmente, a Depressão.

Na Europa, o número de centros médicos que usam a EMT está a aumentar e é uma opção terapêutica já reconhecida por várias entidades reguladoras Europeias, nomeadamente:

  • National Institute for Health and Care Excellence (Reino Unido)
  • Instituto Alemão de Documentação Médica e Informação
  • Associação Médica Finlandesa
  • Ministério da Saúde da Sérvia
  • Federação internacional de Neurofisiologia Clínica (Aceda à Guia Clínica de recomendações baseadas na evidência para a EMT, aqui)

Na NeuroVida desenvolvemos programas terapêuticos inovadores que combinam o uso da EMT com outras técnicas convencionais de reabilitação possibilitando uma abordagem integrada no tratamento das seguintes patologias:

  • Depressão
  • Dependências
  • Fibromialgia
  • Dor neuropática crónica
  • Afasia
  • Heminegligência
  • AVC (apoio à reabilitação)

Para mais informações, consulte o nosso website e contacte-nos, queremos ajudá-lo(a).